Autocompaixão. Você anda praticando?

Normalmente, temos mais facilidade de cuidar e de sermos compreensivos com os outros do que conosco. Estamos habituados a sermos críticos e muito exigentes com nós mesmos para alcançarmos o sucesso.

Porém, esses comportamentos acabam fazendo com que aumente o nosso sofrimento, o que pode acarretar em um aumento da ansiedade e da baixa autoestima.

Compaixão tem a ver com esse olhar, com uma disposição em agir para beneficiar os outros. Já a autocompaixão, seria a habilidade de sermos gentis e menos rígidos conosco da mesma maneira com que tratamos os outros.

Quando não cultivamos a autocompaixão, somos duros e rígidos com nós mesmos, temos dificuldade em aceitar nossos erros e nos culpamos por eles. Além disso, nos cobramos para sermos perfeitos com frequência e nos desapontamos com as altas expectativas que criamos, o que acaba por gerar um imenso sofrimento.

Você tem o costume de sentir mais compaixão pelo outro do que por si mesmo? Experimente olhar para a maneira com a qual você lida com as “falhas” de um amigo querido e compare com o jeito que você lida com as suas.

É super importante praticarmos a autocompaixão, lembrando que somos humanos, vulneráveis e não precisamos atingir a perfeição sempre. Essa habilidade pode ser desenvolvida de maneira prática através da psicoterapia, de exercícios, maior autoconhecimento, etc.

Os benefícios da prática são imensos, incluindo a redução dos sintomas de estresse e depressão, assim como outros sintomas de adoecimento mental, aumento da liberação do hormônio responsável pelo prazer e pelas emoções prazerosas, diminuição da autocrítica e da sensação de isolamento, aumento da conexão entre as pessoas e, principalmente, aumento de comportamentos pró-sociais, como a compaixão e a empatia.

Informe seu e-mail abaixo para entrar para nossa lista de assinantes e receber novidades e conteúdos exclusivos do Projeto Sakura!

Assine para receber novidades. Respeitamos sua privacidade e também somos contra qualquer prática de Spam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *